19 de abr de 2017

{Resenha} O peru de natal - Mário de Andrade

Olá, meus amores. Tudo bem?
Você já leu ou tem interesse em ler algum conto de Mário de Andrade? Bom, trago hoje uma resenha sobre um de seus melhores contos: O peru de natal, que é sem dúvida uma história fantástica, que nos faz refletir sobre como uma simples ação pode mudar completamente o cenário de uma família inteira. Foi publicado em 1947 na coletânea “Contos Novos”, após a morte do autor.

A história se inicia com um discurso de Juca, protagonista-narrador, sobre como era a vida de sua família antes da morte seu pai e de como a personalidade pragmática deste afetava a família de certo modo. Juca dá um breve relato de como a vida deles havia mudado deste o falecimento, afirmando como o luto não sumira com o tempo, acabando por se tornar mais obrigação do que tristeza. Porém, Juca pensava diferente, não queria ter uma vida repleta de amargura.  Por isso teve uma ideia, o que era frequente, já tinha a fama de realizar “loucuras” na família. A loucura era simplesmente comer um peru no natal.


         A ideia central do conto gira em torno de uma luta entre o luto e a superação da família quanto à morte do ente querido. O conto nos mostra uma visão de que o luto muita vezes pode dominar o circulo familiar, pois a figura do falecido pôde ainda influenciar muito nas escolhas de vida da família. Como por exemplo, a miséria auto imposta pelo pai de Juca que continuava a perpetuar no cotidiano da família mesmo após a morte deste.
       A história começa de uma forma intrigante e continua a nos prender até o final. Possui descrições sucintas e formidáveis. O autor aproveita de recursos interessantes para a construção de suas sentenças, mostrando que o modo como se utiliza a linguagem é um fator muito importante para a criação de um texto. O conto é capaz de comover ainda mais os leitores através do modo como é contado.
Utilizando de uma parábola simples, Mário consegue construir uma história impressionante. Acrescentando ao leitor e provocando reflexões a respeito de condutas humanas em situações de dor e superação. Pode-se concluir a partir do conto, que a única forma de superar o falecimento de alguém é a relembrança dos momentos bons ao lado desta pessoa, é falar abertamente sobre ela e enfrentar sua imagem de frente, ao invés de simplesmente afastá-la.
          A compra da coletânea em que o conto se encontra está disponível nos sites: Estante Virtual, Saraiva e Submarino.

         E ai? Já leu o conto? Gostou?
         Interessou-se pela leitura?
         Deixe seu comentário.
         Volte sempre.
         Beijos, Jess.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Blog Quase Adultas - 2017. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Cute Design.
Tecnologia do Blogger.
http://i.imgur.com/dPkEDcC.png